Seu filho mama em um só peito? Entenda quando isso pode ser um problema

Alguns bebês podem preferir mamar em um seio do que em outro e isto ocorre por diversos motivos. Dentre os principais estão a posição ao segurar o bebê para mamar, a forma do mamilo ou mesmo a preferência da criança por um lado.


Pode ser também que a mãe esteja oferecendo mais uma das mamas, seja pela facilidade que encontrou ao amamentar, seja porque naquele seio ela não sente dor.


É importante deixar claro para as mães que mamar em apenas um seio não vai interferir na nutrição do bebê. No entanto, pode ocorrer uma diminuição na produção do leite no seio que não está amamentando tanto, além de uma diferença nos tamanhos das mamas.


Outro ponto importante a ser avaliado é a presença de um possível torcicolo congênito que leve a criança a preferir um seio do que o outro. Esse problema normalmente se desenvolve em recém-nascidos devido a partos difíceis, ou pelo posicionamento inadequado no útero.


Quando devo desconfiar que se trata de algum problema?


Na amamentação, a criança com torcicolo congênito tem dificuldades para se alimentar de um dos lados e costuma rolar para uma única direção. Além disso, é possível notar que o bebê demonstra dor, sofrimento ou proteção para quando são feitas tentativas para virar a cabeça para o lado oposto.


Para saber se realmente pode ser torcicolo, você terá que observar os sintomas que são bastante claros nesses casos:

  • Fica com a cabeça inclinada apenas em uma direção.

  • Prefere mamar em um peito, pois pode ter dificuldade no outro lado.

  • Olha por cima de um ombro para seguir o movimento ao invés de virar a cabeça completamente.

  • Tem dificuldade em mover a cabeça completamente em uma determinada direção, e chora quando não pode fazê-lo.


É válido lembrar que existem também outras condições que podem levar o bebê a preferir um peito do que o outro. Por isso, para poder diferenciá-las é necessária uma avaliação com um pediatra o mais rápido possível.


Como estimular o bebê a mamar o outro seio?


Quando é descartada uma possível complicação por torcicolo congênito, é possível estimular o bebê a mamar os dois seios de forma simples. Uma boa estratégia é não esperar que o bebê fique muito faminto para amamentá-lo, pois se ele está acostumado com um fluxo grande de leite, irá ficar irritado se estiver com muita fome e receber um fluxo de leite menor.


Outra opção é oferecer sempre o peito rejeitado no início da mamada. Como o bebê estará com fome, é maior a probabilidade de que aceite a mama nessa condição.


Pode acontecer também do bebê recusar o peito se ele tiver um fluxo muito intenso ou se estiver muito cheio. Faça uma ordenha manual para retirar um pouco de leite, antes de colocar o bebê para mamar.


E quando não dá certo?


Sem desespero! A amamentação pode seguir por muito tempo, mesmo nessa situação. No entanto, um cuidado importante com a mama rejeitada é manter a ordenha, para que o leite não empedre.


E lembre-se que mais importante do que a ideia de amamentar com perfeição, é que seu filho esteja bem, saudável, crescendo forte e tranquilo!


#amamentação #torcicolocongênito #bebêprefereapenasumseio

4,625 visualizações0 comentário