Consultora, você tem atingido a janela terapêutica da sua paciente na laserterapia?

Você, consultora de amamentação, que utiliza o laser como ferramenta, já parou para pensar sobre a importância de entender sobre a janela terapêutica de uma paciente na laserterapia? Sabe a importância da individualização dos tratamentos?



Protocolos iguais, resultados diferentes


Somos diferentes, nosso organismo responde de forma distinta e esse é um dos motivos que protocolos prontos podem dar resultado para a algumas pessoas e para outras não.


Um dos aspectos mais importantes sobre a aplicação do laser e no qual se encontra maior divergência é a dose. Por isso, entender que a janela terapêutica de uma paciente pode ser completamente diferente da de outra, além de saber encontrá-la, é essencial para o sucesso do tratamento!


Tiina Karu (1999) afirma que a reação fotobiológica, ou seja, a reação do organismo à luz, implica na absorção de um comprimento de onda específico por moléculas fotorreceptoras especializadas, denominadas de cromóforos.


Essas moléculas são os responsáveis por absorver a luz dos fótons e este fenômeno estabelece um estado molecular eletronicamente excitado que resulta em modulação da atividade celular.


E o que este fenômeno tem a ver com a janela terapêutica?


Tudo! Nós só sabemos que realmente atingimos a tão esperada janela terapêutica quando a dose de energia aplicada promove esse estado molecular eletronicamente excitado, através da observação dos efeitos observados logo após a irradiação.


Você tem observado esses efeitos logo após a irradiação? Esse efeitos primários são um grande indício de que você atingiu a janela terapêutica. Não observou? A dose pode não ter sido suficiente para estabelecer a excitação necessária.


Lembre-se: observar e manter a individualidade do tratamento de acordo com o paciente, pode ser o limiar entre o sucesso ou ineficácia do tratamento.


Seja uma agente de mudanças eficaz!


8 visualizações0 comentário