top of page

Ingurgitamento mamário: um problema para a mãe e o bebê!

A mãe que já passou por um ingurgitamento mamário, com certeza sabe o quão difícil e doloroso é essa condição. No entanto, nós não costumamos nos lembrar que essa condição também não é fácil para o bebê!


O ingurgitamento mamário surge em decorrência da retenção e do acúmulo de leite nas mamas, pelo inadequado manejo da apojadura (descida do leite), frequência das mamadas e sucção ineficaz.


Além das dores na mãe, o ingurgitamento também dificulta a pega do bebê, fazendo com que ele não consiga extrair o leite com facilidade e nem na quantidade desejada.


Uma bola de neve


Com o “leite empedrado” há uma distensão do alvéolo e a maior presença de fatores que inibem a produção de leite (FIL), pois o seu corpo entende que já tem leite demais! O grande problema disso é que após um tempo e se o problema persistir, poderá ocorrer uma diminuição na produção do leite.


Uma das melhores maneiras de evitar esse desfecho que não é bom nem pra mãe e muito menos para o bebê, é realizar a ordenha manual da mama antes da mamada, para amolecer e diminuir a tensão e rigidez da aréola, facilitando a pega do bebê.


Ah, é nunca é demais dizer que a livre demanda é essencial aqui, não é?!


E lembre-se que se tiver dificuldades, a ajuda de uma consultora de amamentação é essencial para o correto manejo do caso e manutenção da amamentação.

Comments


bottom of page