Finger Feeding: como funciona a técnica de “amamentação pelo dedo”?

Atualizado: Out 17

Já ouviu falar em finger feeding ou, em português, dedo-sucção?


Conhecida como amamentação pelo dedo, essa é uma técnica utilizada para oferecer leite materno ao recém-nascido de uma forma muito peculiar e eficiente.

Recomendada para mulheres que por algum motivo estão com dificuldades na amamentação, o finger feeding também pode ser uma alternativa para bebês que não conseguem sugar com efetividade - o que pode causar até mesmo engasgos ou problemas respiratórios.


Para isso, utiliza-se o dedo com uma sonda conectada e mergulhada em um frasco de leite materno (da própria mãe ou de um banco de leite). O dedo pode ser de algum profissional ou mesmo do pai e da mãe, possibilitando que qualquer pessoa possa alimentar a criança.





Por que escolher o finger feeding?


Por ser um momento único de troca entre mãe e filho, o recomendável será sempre optar pela amamentação convencional.

No entanto, em situações de necessidade, ou como uma forma provisória de alimentação quando o seio precisa de uma folga (devido a fissuras ou outras razões), o finger feeding pode ser uma excelente opção para que o bebê continue a receber o leite materno.

Esta técnica também visa evitar que outros meios de alimentação, como a mamadeira, sejam iniciados precocemente. Isso porque, a sonda faz com que o bebê ainda tenha um trabalho de sugar o leite, assim como se estivesse realizando o ato de sucção na própria mama.


Quando optar por outros meios não convencionais de amamentação?


Conforme citamos acima, amamentar o bebê diretamente no seio oferece inúmeros benefícios para a criança, além de fortalecer os vínculos entre mãe e filho. Por isso, optar por outros meios não convencionais para amamentar deve ser sempre uma alternativa que fica em segundo plano!


O finger feeding só deve ser iniciado após a recomendação de um profissional especializado, além de um acompanhamento adequado para evitar outras complicações.

A melhor técnica depende dessa avaliação e intervenção, mas a primeira escolha sempre será pela amamentação com o bebê diretamente no seio materno, seguido do uso do copo para as situações em que a mãe não estiver presente ou o bebê apresentar dificuldades na pega da mama.


É válido ressaltar também, que a amamentação pelo dedo não deve ser utilizada como forma definitiva para alimentar a criança. Isso porque, a falta de estímulo da mama pode causar diminuição da produção de leite e levar a um desmame precoce.

Além disso, a estratégia exige um cuidado a mais dos pais, principalmente no que se refere a higiene. A mão precisa estar bem higienizada ou com luva, observando sempre o tamanho e limpeza das unhas. É preciso se atentar também quanto ao melhor encaixe do dedo na boca do recém-nascido.


Por isso, a orientação de um profissional em aleitamento materno é essencial neste sentido. O mais importante é ter um bom acompanhamento inicial para que a pega seja feita adequadamente, ou para avaliar qual é o tipo de dificuldade.


Saiba mais sobre técnicas de amamentação


#fingerfeeding #amamentação #aleitamentomaterno


84 visualizações

(31) 9 9383-7758 
contato@virginiaferreirasaude.com.br
Rua Germano Torres, 166 sala 602, Carmo Sion - Belo Horizonte, Minas Gerais

Virginia Maia Ferreira Rodrigues
CNPJ: CNPJ 31.047.545/0001-87 


Política de Entrega, Troca, Cancelamento, Devolução, Reembolso: 

Os cursos serão realizados (entregues) mediante data previamente informada no campo de compras do site.
 
• Aviso de desistência/ cancelamento com mais de 45 dias de antecedência do início do curso, devolução de 100% do valor pago.

• Aviso de desistência/ cancelamento com 16 a 45 dias de antecedência do início do curso, multa de 30% do valor integral do curso.

• Aviso de desistência/ cancelamento com 08 a 15 dias de antecedência do início do curso, multa de 50% do valor integral do curso.

• Aviso de desistência/ cancelamento com 01 a 07 dias de antecedência do início do curso ou não comparecimento, multa no valor integral do curso. Não há devolução de valores.


*Obs: Mudanças (trocas) de turma/curso são consideradas como desistência.